Domingo, 20 de Junho de 2021
(89) 98112 9965
Geral EXTREMO SUL

Governo vai instalar delegacia de polícia integrada em Gilbués

A unidade de Polícia Civil vai trabalhar de forma integrada com a Polícia Militar e terá um delegado titular que irá morar na cidade.

20/01/2021 16h41 Atualizada há 5 meses
Por: Redacao
Governo vai instalar delegacia de polícia integrada em Gilbués

O município de Gilbués, a 766 km de Teresina, passará a contar, em dois meses, com uma delegacia de polícia.  A unidade de polícia foi uma solicitação da Comissão Estadual de Combate à Violência no Campo, criada esta semana durante reunião para discutir os conflitos agrários envolvendo a comunidade indígena Gamela. A vice-governadora Regina Sousa faz parte da comissão e informou que previsão é da delegacia ser instalada em dois meses, pois já tem o prédio e pessoal para trabalhar.

A unidade de Polícia Civil vai trabalhar de forma integrada com a Polícia Militar e terá um delegado titular que irá morar na cidade.

Gilbués se tornou um município que vem despertando o interesse por terras por estar  localizado na região dos Cerrados. “Os olhos de muita gente estão voltados para os Cerrados e vão aparecer pessoas querendo comprar terras por causa da cobiça”, diz Regina Sousa, que teme que apareçam pessoas forjando documentos para tomar as terras de famílias de comunidades tradicionais que vivem no município há mais de três gerações, como os índios Gamela.

A vice-governadora explicou que, por isso, há a necessidade de uma delegacia no município para receber denúncia de conflitos agrários e outras ocorrências.

Regina Sousa disse que os Gamela vivem em Gilbués há mais de três gerações e se dividem em várias comunidades. No domingo (17), uma das comunidades sofreu uma ação de despejo quando um oficial de Justiça chegou ao local acompanhado de um policial militar e atearam fogo em residências. “Era para ser apenas uma notificação de despejo. A terra é do Estado e há processo em andamento”, explica a vice-governadora.

A ação de despejo dessas famílias foi suspensa e concedida a reintegração de posse das terras por decisão do desembargador Hilo de Almeida Barbosa.

Em reunião virtual com representantes das Defensorias Pública do Estado e da União, Polícias Militar e Civil, Secretarias de Estado da Segurança, Governo e Assistência Social, Trabalho e Direitos Humanos, Funai, Ministério Público Federal, Interpi e Comissão Pastoral da Terra ficou decidido que o Interpi vai instalar um núcleo em Gilbués e será solicitado ao Tribunal de Justiça do Estado a instalação de um Juizado Agrário no município.

 

* O conteúdo de cada comentário é de responsabilidade de quem realizá-lo. Nos reservamos ao direito de reprovar ou eliminar comentários em desacordo com o propósito do site ou que contenham palavras ofensivas.